Bolsonaro bate recorde milionário em uso do cartão corporativo

Os gastos recordes do presidente Jair Bolsonaro (PL) no cartão corporativo ficaram ainda maiores em 2022, ano eleitoral em que ele tentará a reeleição à Presidência da República. Atualmente, a fatura do valor gasto pelo chefe do Executivo atingiu o patamar de R$ 1,2 milhão por mês. Considerando um mês de 31 dias, são gastos aproximadamente R$ 39 mil diariamente. As informações são da Folha de S.Paulo. 

A fatura média do cartão subiu de R$ 736,6 mil por mês no primeiro ano de governo para R$ 862,1 mil em 2020. Em 2021, o extrato do cartão do presidente passou a ser de R$ 1,1 milhão por mês e em maio de 2022, a média subiu para R$ 1,2 milhão. Os dados são do Portal da Transparência do governo federal, que reúne informações de 2013 a maio de 2022 (fatura mais recente).

Com esse aumento nas despesas, Bolsonaro bateu recorde de gastos no cartão corporativo em comparação com os seus antecessores. A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) gastou R$ 960 mil por mês na pré-campanha de 2014; e Michel Temer (MDB), R$ 560 mil em 2018 –quando chegou a ser pré-candidato. Os valores foram corrigidos pela inflação do período.

Não é possível comparar o uso do cartão corporativo entre Bolsonaro e Lula, já que nos dois mandatos do petista, a regra para o uso do cartão era diferente. 

Os cartões corporativos do Palácio do Planalto são usados, entre outras despesas, para a compra de materiais, prestação de serviços e abastecimento de veículos oficiais. Também financiam a operação de segurança do presidente em viagens, além da manutenção e realização de eventos na residência oficial, o Palácio da Alvorada.

Deixe um comentário