Com ‘lei do ex’ e expulsões, Bahia perde do Ceará e fica em desvantagem na final – ITAPICURU FM 104,9

Com ‘lei do ex’ e expulsões, Bahia perde do Ceará e fica em desvantagem na final

Com o gramado de Pituaçu pesado, Bahia e Ceará fizeram o primeiro jogo da final da Copa do Nordeste, neste sábado, 1º, muito pegado, amarrado, com muitas faltas, poucas chances reais de gol e duas expulsões ainda no primeiro tempo. Mas o Vovô garantiu a vantagem com um gol aos 47 minutos do segundo tempo com Jael, o Cruel, apaixonado pelo Tricolor, mas que se tornou um carrasco ao marcar o gol que deu a vitória ao time cearense.

Para ficar com o tetra do Nordestão, o Esquadrão precisa vencer o Alvinegro por dois gols de diferença. Se vencer por apenas um gol, a decisão vai para os pênaltis,

O jogo de volta da decisão acontece no próximo sábado, dia 8, às 16h, no Castelão. Antes, já nesta terça-feira, o Tricolor enfrenta o Independiente, da Argentina, no estádio de Pituaçu, às 19h15, em jogo válido pela 3ª rodada da Copa Sul-Americana. A partida vale a liderança do grupo B. Enquanto o Vovô visita o Bolívar, na quarta-feira.

A desolação do torcedor

Sobrou cartão vermelho

Com o gramado do Pituaçu pesado por causa da chuva que caiu em Salvador durante boa parte do dia, Bahia e Ceará começaram a partida cautelosos, estudando o posicionamento adversário em busca de brechas na defesa.

Até os 13 minutos, o jogo foi truncado, com muitas faltas e sem chances cla vras de gol. Mas, dono da casa e determinado a fazer o dever de casa, O Tricolor passou a concentrar suas investidas no lado direito de ataque, com Nino Paraíba e Rossi. E a primeira chance surgiu aos 15, quando Nino avançou e cruzou para Rodriguinho, que escorou para a chegada de Thaciano. Mas o meia mandou para fora.

Quando o gol do Bahia parecia amadurecer, eis que o zagueiro, aos 19 minutos, deu um carrinho violento no atacante Lima e foi expulso. Com um a menos, Dado teve que abrir mão de um meia de criação para recompor a zaga e tirou Daniel para colocar Juninho ao lado de Conti.

O duelo seguiu nervoso após a expulsão e começou um show de reclamações e mais faltas duras. Mas com a bola rolando, o Bahia baixou as linhas ofensivas, mas seguiu tendo as melhores chances.

Mesmo com um a mais, o Vovô não conseguiu penetrar a defesa do Esquadrão, com isso passou a arriscar chutes de média e longa distância, mas sem sucesso até então.

Com o passar dos minutos, o time de Guto Ferreira começou a se ousar um pouco mais, a subir as linhas e a tentar pressionar a saída de bola do Bahia, mas sem sucesso.

O lance mais perigoso do Ceará só veio acontecer aos 40 minutos. Vina cobrou falta na lateral da área com efeito e exigiu uma linda defesa do goleiro Matheus Teixeira.

Faltou gol, mas não faltou cartão vermelho. Aos 46, Cartão, em lance semelhante ao de Luiz Otávio, deu uma entrada com a trava da chuteira em Nino Paraíba e também levou vermelho direto.(https://atarde.uol.com.br/)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *